27 janeiro, 2015

COMO SE COMUNICAR COM SEU FILHO ADOLESCENTE




AJUDA PARA A FAMÍLIA | CRIAÇÃO DE FILHOS

Como se comunicar com seu filho adolescente

O DESAFIO

Quando era criança, seu filho contava tudo para você. Agora que é adolescente, ele não conta nada. Quando você tenta conversar, ele dá respostas curtas ou então começa uma discussão que transforma seu lar num campo de batalha.

Mas você pode aprender a conversar com seu filho. Primeiro, porém, veja dois fatores que podem contribuir para esse desafio.

POR QUE ACONTECE

Desejo de independência. Para se tornar um adulto responsável, seu filho precisa, por assim dizer, passar aos poucos do banco do passageiro para o do motorista e aprender a dirigir pelos caminhos tortuosos da vida. É claro que alguns adolescentes querem mais liberdade do que deveriam ter; por outro lado, alguns pais dão menos liberdade do que seus filhos poderiam ter. Isso pode resultar num cabo de guerra, causando muito estresse para os pais e para os filhos. “Meus pais tentam controlar cada detalhe da minha vida”, reclama Brad, de 16 anos. “Se eles não me derem mais liberdade até os 18 anos, vou sair de casa!”

Pensamento abstrato. Os adolescentes não pensam como as crianças. Para as crianças, tudo é preto ou branco. Já os adolescentes começam a enxergar tons cinzas. Esse é um aspecto importante do pensamento abstrato e ajuda os adolescentes a desenvolver bom critério. Por exemplo, para uma criança, o conceito de justiça é simples: ‘Mamãe partiu um biscoito e deu metade para mim, metade para meu irmão.’ Nesse caso, justiça se resume a uma fórmula matemática. Mas, para os adolescentes, esse conceito não é tão simples assim. Afinal, tratar um assunto com justiça nem sempre significa tratá-lo com igualdade, e vice-versa. O pensamento abstrato ajuda seu filho a tirar conclusões próprias sobre assuntos complexos. Mas isso tem um lado negativo: as conclusões dele poderão ser contrárias às suas.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

Tenha conversas  descontraídas.Aproveite os momentos em que seu filho está mais à vontade para conversar. Por exemplo, alguns pais descobriram que os adolescentes se abrem mais quando estão fazendo alguma tarefa doméstica ou andando de carro, ocasiões em que estão lado a lado com os pais, não frente a frente com eles. — Princípio bíblico: Deuteronômio 6:6, 7.

Seja breve. Você não precisa dar um longo sermão para cada problema. Diga o que precisa ser dito . . . e pare por aí. Isso poderá surtir efeito mais tarde. Quando seu filho estiver sozinho, ele terá condições de pensar melhor no que você disse. Dê a ele a chance de fazer isso. — Princípio bíblico: Provérbios 1:1-4.

Ouça e seja flexível. Para ter uma visão completa do problema, ouça com atenção — sem interromper. Quando disser algo, seja razoável. Se você se apegar demais às regras, seu filho se sentirá tentado a procurar brechas. “É aí que os filhos começam a levar uma vida dupla. Eles dizem aos pais o que os pais querem ouvir, mas fazem o que bem entendem quando estão longe deles”, alerta Michael Riera num livro sobre comunicação com filhos adolescentes. — Princípio bíblico: Filipenses 4:5.

Fique calmo. “Quando discordamos, minha mãe fica ofendida com cada coisa que eu digo”, diz uma adolescente chamada Kari. “Isso só me irrita, e a conversa acaba virando uma discussão.” Em vez de perder a cabeça, mostre que você entende o lado do seu filho. Por exemplo, em vez de dizer “Isso não é nada!”, diga “Percebi que isso não está sendo nada fácil para você”. — Princípio bíblico: Provérbios 10:19.

Sempre que possível, dê orientação em vez de ordens. A habilidade do seu filho de pensar de forma abstrata é como um músculo que precisa ser exercitado. Então, quando ele tiver de tomar uma decisão, não faça o “exercício” por ele. Ao conversar sobre o problema, deixe que ele sugira algumas soluções. Depois, diga algo como: “Agora que você deu algumas opções, pense nelas por um ou dois dias. Depois podemos conversar sobre qual delas você prefere e por quê.” — Princípio bíblico: Hebreus 5:14.

Matéria da Despertai 01/2013 páginas 4 e 5.

16 julho, 2014

‘correr até o fim’ da corrida



Tenho corrido até o fim da carreira. — 2 Timóteo 4:7
Você está decidido a ‘correr até o fim’ da corrida? 
Nesse caso, o estudo pessoal é uma necessidade. Use a Bíblia e nossas publicações teocráticas para ajudá-lo a pesquisar, meditar e identificar possíveis pedras de tropeço.
Suplique que o espírito santo lhe dê a resistência espiritual de que você precisa.
Lembre-se: nenhum corredor está condenado a falhar na corrida pela vida só porque ocasionalmente tropeça ou cai. Ele pode se levantar e voltar à corrida.
Pode até mesmo usar possíveis pedras de tropeço como pedras de apoio, aprendendo lições valiosas de qualquer desafio à sua fé.
A Bíblia se refere à participação na corrida pela vida eterna como algo ativo, não passivo. Não é como entrar num ônibus que simplesmente transporta os passageiros para uma vitória.
Temos de pessoalmente correr a corrida pela vida.
Se o fizermos, podemos ter certeza das contínuas bênçãos de Jeová agora e futuras bênçãos sem fim para todos os que terminarem a corrida. — Tiago 1:12

fonte: http://www.jw.org/pt/

07 maio, 2014

Por que estudar a Bíblia?



Veja e baixe em esse vídeo em vários idiomas e resoluções

Saiba como a Bíblia pode ajudar você a encontrar as respostas para as grandes perguntas da vida.

 << http://www.jw.org/pt/video-por-que-estudar-biblia/ >

01 maio, 2014

Jeová Maravilhoso Criador




Olhar esta maravilha da natureza, nos faz lembrar estes dois lindos textos da Bíblia:

Revelação 4:11: “Digno és, Jeová, sim, nosso Deus, de receber a glória, e a honra, e o poder, porque criaste todas as coisas e porque elas existiram e foram criadas por tua vontade.”

Isaías 40:26: “Levantai ao alto os vossos olhos e vede. Quem criou estas coisas? Foi Aquele que faz sair o exército delas até mesmo por número, chamando a todas elas por nome. Devido à abundância de energia dinâmica, sendo ele também vigoroso em poder, não falta nem sequer uma [delas].

Depois de meditar no poder de Deus evidente nas estrelas, talvez você se sinta como o Rei Davi, que disse: “Quando vejo os teus céus, trabalhos dos teus dedos, a lua e as estrelas que preparaste, que é o homem mortal para que te lembres dele, e o filho do homem terreno para que tomes conta dele?” — Salmo 8:3, 4.

De fato, perceber como somos insignificantes quando comparados ao imenso Universo nos faz refletir na nossa condição humilde.
Apesar disso, não precisamos nos sentir oprimidos pelo poder de Deus. Jeová inspirou o profeta Isaías a escrever as seguintes palavras animadoras:
“Ele [Deus] dá poder ao cansado; e faz abundar a plena força para aquele que está sem energia dinâmica. Rapazes tanto se cansarão como se fatigarão e os próprios jovens sem falta tropeçarão, mas os que esperam em Jeová recuperarão poder. Ascenderão com asas quais águias. Correrão e não se fatigarão; andarão e não se cansarão.” — Isaías 40:29-31.

Se deseja fazer a vontade de Deus, pode ter certeza de que ele lhe ajudará por meio do seu espírito santo. Mas você precisa pedir esse espírito.
Com o apoio de Deus, você pode suportar qualquer provação e ter força para fazer o que é certo. — Filipenses 4:13.


29 abril, 2014

Como melhorar suas conversas


As palavras se originam de pensamentos. 
Se quiser melhorar o que diz, precisa melhorar o que pensa. 
Por em prática a Palavra de Deus pode influenciar seus pensamentos, que por sua vez influenciam o que você diz.

Encha o coração com coisas boas. A Bíblia descreve essas coisas boas ao dizer:
 “Todas as coisas que são verdadeiras, todas as que são de séria preocupação, todas as que são justas, todas as que são castas, todas as que são amáveis, todas as coisas de que se fala bem, toda virtude que há e toda coisa louvável que há, continuai a considerar tais coisas.”Filipenses 4:8.
Seguir esse excelente conselho o ajudará a descartar pensamentos impróprios. 

Lembre-se que seus pensamentos são alimentados e intensificados pelo que você vê e lê. 
Assim, para evitar pensamentos negativos e impuros, evite influências negativas. 
Isso significa ficar longe de diversão violenta e obscena. (Salmo 11:5; Efésios 5:3, 4) 
Pense em coisas puras e positivas. 
A Bíblia pode ajudá-lo. 
Por exemplo, leia Provérbios 4:20-27; Efésios 4:20-32; e Tiago 3:2-12. Seguir os princípios contidos nesses textos pode ajudar a melhorar suas conversas.

Pense bem antes de falar. 
“Existe aquele que fala irrefletidamente como que com as estocadas [golpes] duma espada, mas a língua dos sábios é uma cura”, diz Provérbios 12:18
Se você perceber que costuma ‘golpear’, ou ferir, os sentimentos de outros, seria bom se esforçar para pensar antes de falar. 
Siga o excelente conselho de:
Provérbios 15:28: “O coração do justo medita a fim de responder, mas a boca dos iníquos borbulha com coisas más.”

Estabeleça uma meta. Esteja determinado a não dizer a primeira coisa que lhe vem à mente, principalmente quando for provocado. 
Pense nos textos aqui citados  e faça um esforço de falar de modo sábio, amoroso e calmo. (Provérbios 15:1-4, 23) Mas isso não é tudo. Ore pedindo a ajuda de Deus. 

Um escritor bíblico orou: 
“As declarações de minha boca e a meditação de meu coração, tornem-se elas agradáveis diante de ti, ó Jeová.” (Salmo 19:14) 
Conte a Jeová Deus o seu desejo de usar a fala de um modo que Lhe agrade e torne sua companhia agradável para outros. 
Provérbios 18:20, 21 diz: “O que você diz pode salvar ou destruir uma vida; portanto, use bem as suas palavras.” — Bíblia na Linguagem de Hoje.

Use a Palavra de Deus como espelho. 
A Bíblia é como um espelho que podemos usar para nos examinar. (Tiago 1:23-25) 
Quando você se olha no espelho e corrige algo que não está bom, você fica mais apresentável e se sente mais confiante. 
Use a Bíblia deste modo, de acordo com o que ela ensina veja onde você pode melhorar e se corrigir.

Na sua próxima conversa procure ser bem agradável e, lembre-se também, de ser um bom ouvinte.

18 março, 2014

Será que Jesus é Deus?

as maravilhas da criação

O próprio Jesus disse em oração a Este: “Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo.” (João 17:3) 
Há motivos para crer que o nosso bem-estar eterno depende de sabermos a verdade a respeito de Deus.

O próprio Jeová Deus não deixa dúvida sobre a identidade do seu Filho. 
O Evangelho de Mateus conta que, depois de Jesus ter sido batizado, “houve uma voz dos céus, que disse: ‘Este é meu Filho, o amado, a quem tenho aprovado.’” (Mateus 3:16, 17) 
Jesus Cristo é o Filho de Deus.

No entanto, alguns religiosos dizem que Jesus é Deus. Outros dizem que Deus é uma Trindade. 

Segundo este ensino, “o Pai é Deus, o Filho é Deus, e o Espírito Santo é Deus; e, não obstante, não são três Deuses, mas um só Deus”.
Afirma-se que os três ‘são coeternos e coiguais’. (The Catholic Encyclopedia [Enciclopédia Católica]) São corretos esses conceitos?

Ele é o “Rei da eternidade” — sem princípio nem fim. (1 Timóteo 1:17) 
As Escrituras inspiradas dizem a respeito de Jeová: “De tempo indefinido a tempo indefinido, tu és Deus.” (Salmo 90:2) 
Jesus, por outro lado, é “o primogênito de toda a criação”, “o princípio da criação de Deus”. (Colossenses 1:13-15; Revelação 3:14) 

Referindo-se a Deus como seu Pai, Jesus disse: “O Pai é maior do que eu.” (João 14:28) Jesus explicou também que havia algumas coisas que nem ele, nem os anjos sabiam, e que eram conhecidas apenas por Deus. (Marcos 13:32) 

Além disso, Jesus orou ao Pai, dizendo: “Ocorra, não a minha vontade, mas a tua.” (Lucas 22:42) A quem orou, se não a um Ser superior a ele? E foi Deus quem ressuscitou Jesus da morte, não o próprio Jesus. — Atos 2:32.

Biblicamente, portanto, Jeová é o Deus Todo-Poderoso, e Jesus é seu Filho. 

Os dois não eram iguais antes de Jesus vir à Terra ou durante a vida terrestre dele, nem tornou-se Jesus igual ao Pai depois de ter sido ressuscitado para o céu. (1 Coríntios 11:3; 15:28) Conforme vimos, a chamada terceira pessoa da Trindade, o espírito santo, não é uma pessoa. Antes, é uma força que Deus usa para realizar o que deseja. Por isso, a Trindade não é um ensino bíblico. “Jeová, nosso Deus, é um só Jeová”, diz a Bíblia. — Deuteronômio 6:4.

Conheça melhor a Deus

Para amar a Deus e dar-lhe a devoção exclusiva que merece, temos de saber como ele realmente é. Como podemos conhecer melhor a Deus? “As suas qualidades invisíveis são claramente vistas desde a criação do mundo em diante”, diz a Bíblia, “porque são percebidas por meio das coisas feitas, mesmo seu sempiterno poder e Divindade”. (Romanos 1:20) Um modo de se conhecer melhor a Deus é por observar o que ele criou e refletir com apreço nisso.

Todavia, a criação não nos diz tudo o que precisamos saber sobre Deus. Por exemplo, para compreendermos que ele é uma Pessoa espiritual, real, com um nome ímpar, temos de examinar a Bíblia. 
Na realidade, o melhor modo de se conhecer a Deus é por estudar a Bíblia. Nas Escrituras, Jeová nos diz muito mais sobre a espécie de Deus que ele é. Revela também seus propósitos e nos instrui a andar nos seus caminhos. (Amós 3:7; 2 Timóteo 3:16, 17) 

Devemos ser gratos a Deus por ele querer que ‘tenhamos um conhecimento exato da verdade’ para tirarmos proveito das suas provisões amorosas. (1 Timóteo 2:4) 
Não fica emocionado ao ver o céu cheio de estrelas numa noite sem nuvens? 
Não lhe agrada a fragrância de flores coloridas? 
Não gosta de ouvir o canto de pássaros e o barulho de folhas numa brisa suave? 
E como são fascinantes as grandes baleias e outras criaturas do mar! 
E há também os humanos com sua faculdade de consciência e um cérebro espantosamente complexo. 

Portanto, façamos o máximo para aprender tudo o que pudermos sobre Jeová.

06 fevereiro, 2014

“Jesus, o Filho unigênito de Deus”.




Nenhum homem jamais viu a Deus; o deus unigênito, que está na posição junto ao seio do Pai, é quem o tem explicado. — João 1:18.

Jesus era especialmente qualificado para revelar seu Pai. Por quê? Porque antes de terem sido criadas todas as outras formas de vida, a criatura espiritual que mais tarde se tornou o humano Jesus já existia no céu como “Filho unigênito de Deus”. (João 1:14; 3:18)
(João 1:14) De modo que a Palavra se tornou carne e residiu entre nós, e observamos a sua glória, uma glória tal como a de um filho unigênito dum pai; e ele estava cheio de benignidade imerecida e de verdade.
(João 3:18) Quem nele exercer fé, não há de ser julgado. Quem não exercer fé, já foi julgado porque não exerceu fé no nome do Filho unigênito de Deus.

Uma posição sem igual! Antes de qualquer outra criatura vir a existir, o Filho já desfrutava da calorosa atenção de seu Pai e aprendia sobre Ele e Suas qualidades. O Pai e o Filho com certeza se comunicavam extensivamente e desenvolveram profundo afeto mútuo ao longo de incontáveis eras. (João 5:20; 14:31)
(João 5:20) Pois o Pai tem afeição pelo Filho e mostra-lhe todas as coisas que ele mesmo faz, e mostrar-lhe-á obras maiores do que estas, a fim de que vos maravilheis.
(João 14:31) mas, a fim de que o mundo saiba que eu amo o Pai, assim como o Pai me tem dado mandamento, assim faço. Levantai-vos, vamos embora daqui.

Que riqueza de compreensão a respeito da personalidade de seu Pai o Filho deve ter adquirido! (Col. 1:15-17) (Colossenses 1:15-17) Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; 16 porque mediante ele foram criadas todas as [outras] coisas nos céus e na terra, as coisas visíveis e as coisas invisíveis, quer sejam tronos, quer senhorios, quer governos, quer autoridades. Todas as [outras] coisas foram criadas por intermédio dele e para ele. 17 Também, ele é antes de todas as [outras] coisas e todas as [outras] coisas vieram a existir por meio dele,

O Pai designou o Filho como porta-voz, “A Palavra de Deus”. (Rev. 19:13)
(Revelação 19:13) e está vestido duma roupa exterior manchada de sangue, e o nome pelo qual é chamado é A Palavra de Deus.

Portanto, Jesus se encontrava numa posição sem igual para revelar o Pai a outros. 
Que dizer de você revelar o Pai por meio de sua conduta ao se empenhar em imitar a Jesus? Ao verem nas nossas ações o amor de Cristo, as pessoas serão atraídas tanto ao Pai como a Jesus. (Efé. 5:1, 2)
(Efésios 5:1, 2) Portanto, tornai-vos imitadores de Deus, como filhos amados, 2 e prossegui andando em amor, assim como também o Cristo vos amou e se entregou por vós como oferta e sacrifício a Deus para ser cheiro fragrante.

O apóstolo Paulo nos incentiva a ‘nos tornar imitadores dele assim como ele era de Cristo’. (1 Cor. 11:1)
(1 Coríntios 11:1) Tornai-vos meus imitadores, assim como eu sou de Cristo.

Que privilégio maravilhoso é ajudarmos pessoas a ver a Jeová por meio de nossa conduta! Sim, continuemos a imitar a Jesus por revelar o Pai a outros.

http://www.jw.org/pt/