24 outubro, 2011

Por que Deus não destrói o Diabo?




Se você pudesse aliviar o sofrimento de alguém, faria isso? Voluntários que prestam ajuda humanitária se apressam para aliviar o sofrimento e salvar a vida de pessoas totalmente estranhas.
Você talvez se pergunte: ‘Por que Deus não destrói logo o Diabo, que é o responsável por tanto sofrimento?’
Para responder essa pergunta, imagine um julgamento de grande repercussão. O assassino, desesperado para atrasar o processo, alega que o juiz é desonesto no modo como preside seu tribunal e até mesmo afirma que ele está subornando os jurados. Por isso, permite-se que inúmeras testemunhas deponham.
O juiz sabe que o processo — demorado e complexo — causará muita inconveniência e gostaria de encerrar o caso sem atraso.
Mas ele percebe que, para chegar a uma decisão que estabelecerá um precedente para possíveis casos futuros, as duas partes envolvidas devem ter tempo suficiente para apresentar seus argumentos.
Como essa situação se aplica ao desafio que o Diabo — também chamado de “dragão”, “serpente” e “Satanás” — lançou contra Jeová, “o Altíssimo sobre toda a terra”? (Revelação [Apocalipse] 12:9; Salmo 83:18) Quem é realmente o Diabo? Que acusações ele fez contra Jeová Deus? E quando Deus vai acabar com ele?
A necessidade de um precedente
No início, aquele que se tornaria o Diabo era uma pessoa espiritual perfeita, um anjo de Deus. (Jó 1:6, 7) Ele se tornou o Diabo quando ficou obcecado pela ambição egoísta de ser adorado pelos humanos. Então, desafiou o direito de Deus governar, chegando a insinuar que Ele não merecia ser obedecido. Acusou os humanos de servirem a Deus só quando eram subornados com bênçãos. Alegou que todas as pessoas ‘amaldiçoariam’ o Criador diante de dificuldades. — Jó 1:8-11; 2:4, 5.
Para responder essas acusações de Satanás, seria preciso mais do que uma demonstração de força. Na verdade, destruir o Diabo no jardim do Éden talvez tivesse indicado para alguns observadores que o Diabo estava certo.
Então Deus, que tem autoridade absoluta, deu início a um processo legal para eliminar qualquer dúvida na mente de todos os observadores.
Em harmonia com seus princípios e justiça perfeita, Jeová Deus disse que cada lado produziria suas próprias testemunhas. O tempo concedido tem dado aos descendentes de Adão uma chance de viver e de testemunhar a favor de Deus por escolherem manter a integridade a Ele motivados por amor, apesar de quaisquer dificuldades.
Quanto tempo falta?
Jeová Deus sabe muito bem que os humanos continuarão sofrendo enquanto esses procedimentos legais estiverem em andamento. Mas ele está decidido a encerrar o caso o mais breve possível. A Bíblia o descreve como “o Pai de ternas misericórdias e o Deus de todo o consolo”. (2 Coríntios 1:3)
Fica claro que “o Deus de todo o consolo” não vai permitir que o Diabo viva mais do que o necessário, nem que os efeitos de sua influência continuem. Por outro lado, Deus não vai eliminar o Diabo antes do tempo, sem que o tribunal universal tenha declarado o caso encerrado.
Quando as questões finalmente estiverem resolvidas, o direito de Jeová governar terá sido vindicado por completo. O caso contra Satanás servirá para sempre como base jurídica. Se surgir de novo um desafio similar, o julgamento envolvendo Satanás poderá ser apontado como um exemplo que não precisará ser repetido.
No momento certo, Jeová Deus mandará seu Filho Jesus Cristo eliminar o Diabo e desfazer todas as suas obras. A Bíblia fala do tempo em que Cristo vai “entregar o reino ao seu Deus e Pai, tendo reduzido a nada todo governo, e toda autoridade e poder. Pois ele tem de reinar até que Deus lhe tenha posto todos os inimigos debaixo dos seus pés. Como último inimigo, a morte há de ser reduzida a nada”. — 1 Coríntios 15:24-26.
Felizmente, a Bíblia promete que haverá condições paradísicas na Terra inteira. As pessoas viverão, como era o propósito original de Deus, num paraíso pacífico. “Os próprios mansos possuirão a terra e deveras se deleitarão na abundância de paz.” Realmente, “os próprios justos possuirão a terra e residirão sobre ela para todo o sempre”. — Salmo 37:11, 29.
Pense na perspectiva maravilhosa que a Bíblia apresenta para os servos de Deus: “Eis que a tenda de Deus está com a humanidade, e ele residirá com eles e eles serão os seus povos. E o próprio Deus estará com eles. E enxugará dos seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem clamor, nem dor. As coisas anteriores já passaram.” — Revelação 21:3, 4.