23 fevereiro, 2012

POR QUE DEUS PERMITE O SOFRIMENTO?




Se o propósito de Deus era que as pessoas perfeitas vivessem na terra para sempre e se, este ainda é Seu propósito, por que não vivemos num paraíso?
Por que existe tanta maldade, sofrimento e injustiças?
A história do homem está cheia de aflição causada por guerras, pobreza, calamidades, doenças e morte.
Se Deus é todo-poderoso, por que permitiu esta enorme quantidade de sofrimentos por milhares de anos?
Para entender, faça de conta que está entrando numa floresta e que se depara com uma casa. Ao olhar a casa, vê que ela está em desordem. As janelas estão quebradas, o telhado está seriamente danificado, a varanda de madeira está cheia de buracos, a porta pende de apenas uma dobradiça e o encanamento não funciona.
Ao examinar mais de perto a estrutura, nota que ela foi originalmente bem construída e apresenta evidência de muito cuidado amoroso.
Mas agora está simplesmente decadente e prestes a ficar em ruína.

O que indicariam os defeitos e os problemas?
Poderiam sugerir:
(1) que o dono morreu;
(2) que ele é um construtor hábil, mas não está mais interessado na casa;
(3) que alugou temporariamente sua propriedade a inquilinos não apreciativos.

Este último ponto é similar à situação desta Terra.
A Bíblia nos diz que  não era do propósito de Deus que pessoas sofressem ou morressem.
Nossos primeiros pais, Adão e Eva, morreram somente porque desobedeceram a Deus.
Por escolherem desobedecer a Deus, não fizeram mais a Sua vontade. Na realidade, cortaram as relações com Deus, “a fonte da vida”.
Deus poderia imediatamente ter morto o primeiro casal rebelde depois de terem feito mau uso do seu livre-arbítrio.
Mas isto não teria resolvido a questão a respeito do direito de Deus governar os humanos. 
Aquele  primeiro casal queria ser independente de Deus, por isso é preciso responder à pergunta:
Resultaria tal proceder numa vida feliz e bem-sucedida?
A única maneira de descobrir isso era deixar nossos primeiros pais e seus descendentes seguir o seu próprio caminho, visto que a escolha foi deles. 
O tempo revelaria se os humanos foram criados para ser bem-sucedidos em governar-se independentemente do seu Criador.
O resultado de milhares de anos de governo humano mostra além de qualquer dúvida que não é dos humanos dirigirem seus próprios assuntos à parte do Criador.
Depois de terem tentado isso, só podem culpar a si mesmos pelos resultados catastróficos. 
A Bíblia torna isso claro, dizendo: 
“A Rocha [Deus], perfeita é a sua atuação, pois todos os seus caminhos são justiça. Deus de fidelidade e sem injustiça; justo e reto é ele. Agiram ruinosamente da sua parte; não são seus filhos, o defeito é deles.” — Deuteronômio 32:4, 5.
Depois de ter concedido tempo para mostrar o fracasso do governo do homem durante séculos, Deus pode agora passar a intervir nos assuntos humanos e acabar com o sofrimento, a tristeza, a doença e a morte. 
Depois de ter permitido que os humanos atingissem o auge das suas consecuções na ciência, na indústria, na medicina e em outros campos, Deus não precisa mais conceder outros séculos para que os humanos independentes do seu Criador demonstrem se são capazes de produzir um mundo pacífico.
Sua independência de Deus tem resultado num mundo bem feio, abominável e mortífero.
Embora tenha havido governantes sinceros, que desejavam ajudar a humanidade, seus esforços não tiveram êxito. 
Hoje em dia, em toda a parte há evidência do colapso do governo humano.
É por isso que a Bíblia aconselha: 
"Não confieis nos nobres, nem no filho do homem terreno, a quem não pertence a salvação.” — Salmo 146:3.
Nossas ansiedades quanto ao futuro, em breve deixarão de existir, pois Deus assumirá o controle do planeta Terra, estabelecendo seu governo, chamado Reino de Deus. Jesus Cristo se referia a esse futuro maravilhoso quando ensinou seus seguidores a orar: 
“Venha o teu reino. Realize-se a tua vontade, como no céu, assim também na terra.” — Mateus 6:9, 10.
Além disso, o Reino de Deus levará os humanos obedientes à perfeição mental e física, eliminando todas as doenças, o sofrimento e a morte. O resultado? Nosso planeta será um paraíso em todos os sentidos, cumprindo assim o propósito original de Deus declarado no Éden.

Nenhum comentário:

Postar um comentário