29 fevereiro, 2012

A VERDADEIRA FELICIDADE




Para fazer uma comida gostosa é preciso uma boa receita e alguém que saiba cozinhar bem.
De certa forma, a felicidade também é o resultado, não de apenas um fator, mas da combinação de vários fatores em nossa vida.
Entre esses estão o trabalho, o lazer, o tempo gasto com a família e com os amigos, e atividades espirituais.
Mas há ainda outros fatores que nem sempre são levados em conta, como atitudes, desejos e objetivos na vida.
Felizmente, não precisamos descobrir sozinhos a receita para a verdadeira felicidade.
Por que não? 
Porque nosso Criador nos deu um maravilhoso livro de instrução, a Bíblia, que atualmente está disponível inteira ou em partes em 2.377 línguas e dialetos — muito mais do que qualquer outra publicação!
Essa impressionante circulação mostra que Deus se preocupa com a felicidade e o bem-estar espiritual de todas as pessoas. 
‘Eu sou aquele que te ensina a tirar proveito’, diz Deus. Ele nos promete dar paz e tranqüilidade, “como um rio”, se seguirmos seus mandamentos. — Isaías 48:17, 18.
A espiritualidade mencionada nesse versículo não é uma crença superficial em Deus. Em vez disso, ela influencia toda a nossa vida.
Reflete nossa disposição de ouvir e ser ensinados por Deus, porque reconhecemos que ele nos conhece melhor do que nós mesmos.
Tem-se dito corretamente que, do berço ao túmulo, os humanos precisam de amor. Sem ele, as pessoas perdem a vontade de viver.
Mas o que exatamente é o amor?
Embora o uso dessa palavra tenha sido banalizado hoje em dia, a Bíblia faz uma bela descrição do amor. Ela diz: “O amor é longânime e benigno. O amor não é ciumento, não se gaba, não se enfuna, não se comporta indecentemente, não procura os seus próprios interesses, não fica encolerizado. Não leva em conta o dano. Não se alegra com a injustiça, mas alegra-se com a verdade. Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas.” — 1 Coríntios 13:4-8.
O amor verdadeiro é mesmo altruísta! Visto que “não procura os seus próprios interesses”, quem ama coloca a felicidade dos outros à frente da sua. Infelizmente, esse tipo de amor está ficando cada vez mais raro.
De fato, na sua notável profecia sobre o fim deste sistema, Jesus disse que ‘o amor da maioria se esfriaria’. — Mateus 24:3, 12; 2 Timóteo 3:1-5.
Mas essa situação não continuará para sempre, pois é um insulto ao Criador — a própria personificação do amor! (1 João 4:8)
Em breve Deus eliminará da Terra todas as pessoas que estão cheias de ódio ou que se deixam levar pela ganância.
Ele preservará vivos apenas os que se esforçam para demonstrar o tipo de amor descrito acima.
Em resultado disso, haverá paz e felicidade em toda a Terra.
Com certeza se cumprirá a promessa bíblica:
“Apenas mais um pouco, e o iníquo não mais existirá; e estarás certamente atento ao seu lugar, e ele não existirá. Mas os próprios mansos possuirão a terra e deveras se deleitarão na abundância de paz.” — Salmo 37:10, 11.
Imagine todos os dias de sua vida repletos de ‘deleite’, ou satisfação plena!
Não é de admirar que a Bíblia diga: “Alegrai-vos na esperança”! (Romanos 12:12)

Nenhum comentário:

Postar um comentário