22 março, 2012

VOCÊ DÁ VERDADEIRO VALOR AO RESGATE?



Imagine que você está num leito hospitalar.
Está numa ala em que todos sofrem da mesma doença mortal sem cura conhecida.
Ao saber que um médico está fazendo esforços para encontrar a cura dessa doença, você fica animado. Você aguarda ansiosamente qualquer progresso nas pesquisas. Um dia, fica sabendo que a cura foi encontrada!
O médico responsável pela descoberta fez grandes sacrifícios para tornar a cura possível.
Como você se sentiria?
Com certeza seu coração se encheria de respeito e apreço pelo homem que tornou possível a você e a muitos outros serem livrados da morte.
Essa situação talvez pareça dramática, mas corresponde à realidade que todos nós enfrentamos. Cada um de nós está numa condição muito mais grave do que a descrita aqui. Temos grande necessidade de um resgatador.
Romanos 7:24-"Homem miserável que eu sou! Quem me resgatará do corpo que é submetido a esta morte?"
Para nos livrar, Jeová fez grandes sacrifícios. Seu Filho também fez significativos sacrifícios.
Lembre-se das palavras de 
Romanos 5:12: “Por intermédio de um só homem entrou o pecado no mundo, e a morte por intermédio do pecado, e assim a morte se espalhou a todos os homens, porque todos tinham pecado.” 
A taxa de contaminação do pecado é de 100%, visto que todos os humanos imperfeitos pecam. 
E qual é a taxa de mortalidade?
Paulo escreveu que o pecado traz a morte “a todos os homens”.
Para salvar a humanidade do pecado, o resgatador teria de prover um meio de redenção, uma maneira de reconciliar os humanos com Deus por desfazer os efeitos do pecado. 
Portanto, o livramento que recebemos por meio do sacrifício de Cristo é algo que devemos antes de tudo a Jeová.
É uma expressão de sua vontade perfeita e seu grande amor pelos humanos.
 João 3:16.16 “Porque Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, a fim de que todo aquele que nele exercer fé não seja destruído, mas tenha vida eterna. 
O que Jeová suportou à medida que seu Filho foi torturado, ridicularizado e então executado como um criminoso está além de nossa compreensão.
Nosso livramento custou a Jeová um grande sacrifício! Como, então, podemos mostrar que damos valor a esse livramento?
Retornemos à ilustração feita no início. 
Suponha que o médico que encontra a cura para a doença fizesse a seguinte oferta aos pacientes de sua ala: qualquer paciente que aceitar o tratamento e seguir a dieta prescrita será com certeza curado. 
E se a maioria dos pacientes se recusasse a seguir a orientação médica, alegando que daria muito trabalho tomar o medicamento ou aderir à dieta prescrita? 
Faria como eles, mesmo tendo evidência convincente de que a cura realmente funcionaria?
É claro que não! 
Sem dúvida você mostraria gratidão pela cura e então seguiria com muito cuidado as instruções médicas, talvez até mesmo contando a outros sua escolha.
Num sentido muito mais amplo, cada um de nós devia estar ansioso de mostrar a Jeová o quanto damos valor ao livramento que ele tornou possível por meio do sacrifício de resgate de seu Filho. 
Se tivermos apreço pelo que Jeová e seu Filho fizeram por nós para nos livrar do pecado e da morte, demonstraremos isso. (1 João 5:3)
Lutaremos contra nossa tendência de pecar. Nunca cederemos à prática deliberada do pecado nem levaremos a hipócrita vida dupla que geralmente a acompanha.
Fazer isso seria o mesmo que dizer que não damos valor ao sacrifício de resgate nem temos apreço por ele.
Em vez disso, mostraremos nosso apreço por nos esforçarmos arduamente para permanecer limpos aos olhos de Deus.




Nenhum comentário:

Postar um comentário