14 maio, 2013

A violência doméstica tem solução!




A violência doméstica é recorrente, usar a Bíblia em benefício da família pode ajudar a vencer este problema. Os artigos abaixo são excelentes:

http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102013124

Como evitar ferir com palavras
O DESAFIO
Toda vez que surge uma discussão, você e seu cônjuge disparam uma rajada de críticas um contra o outro. Vocês já se acostumaram tanto a ferir com palavras que agora esse é o jeito “normal” de conversar.
Se isso está acontecendo em seu casamento, você pode mudar a situação. Mas primeiro é preciso pensar nos motivos desse problema e nos benefícios de se fazerem mudanças.
POR QUE ACONTECE
Criação. Muitos maridos e esposas foram criados num lar onde era comum ferir com palavras e acabam repetindo o tipo de linguajar que ouviam de seus pais.
Influência do entretenimento. Filmes e seriados de comédia transformam grosseria em motivo de risada, passando a impressão de que isso é inofensivo — e até engraçado.
Cultura. Em algumas sociedades, as pessoas aprendem que um “homem de verdade” precisa ser dominador ou que a mulher precisa ser muito agressiva para não parecer fraca. Durante uma discussão, marido e esposa podem se encarar como inimigos em vez de aliados e acabar usando palavras que machucam.
Não importa o motivo, a linguagem ofensiva pode levar ao divórcio e a vários problemas de saúde. Alguns até dizem que as palavras doem mais do que pancadas. Por exemplo, uma esposa que sofria agressão verbal e física do marido diz: “Para mim, era muito mais difícil aguentar os insultos do que a violência.”
O que fazer se seu casamento está se desgastando por causa do jeito que vocês falam?
O QUE VOCÊ PODE FAZER
Mostre empatia. Coloque-se no lugar de seu cônjuge e tente imaginar o impacto que suas palavras causam nele. Se possível, pense numa situação específica em que ele achou que você disse algo ofensivo. Não se concentre no que você disse, mas em comoo que você disse afetou os sentimentos da outra pessoa. Que palavras bondosas você poderia ter dito no lugar daquelas palavras maldosas? A Bíblia diz: “Uma resposta, quando branda, faz recuar o furor, mas a palavra que causa dor faz subir a ira.” — Provérbios 15:1.
Observe casais respeitosos. Se o seu jeito de falar foi influenciado por maus exemplos, então procure bons exemplos em que se espelhar. Preste atenção em casais que têm o hábito de se comunicar com respeito e imite seu jeito. — Princípio bíblico: Filipenses 3:17.
Resgate os sentimentos perdidos. A linguagem ofensiva geralmente tem mais a ver com o coração do que com a boca. Por isso, procure alimentar pensamentos e sentimentos positivos sobre seu cônjuge. Relembrem coisas que vocês gostavam de fazer juntos. Vejam fotos antigas. Que coisas faziam vocês darem risada? Que qualidades os atraíram um ao outro? — Princípio bíblico: Lucas 6:45.
Troque “você” por “eu”. Em vez de atacar verbalmente seu cônjuge, expresse suas preocupações explicando como você é afetado. Por exemplo, dizer “Eu me sinto deixado de lado quando você planeja coisas sem me consultar” funciona melhor do que “É sempre assim — você planeja as coisas e nem quer saber o que eu penso!”. — Princípio bíblico:Colossenses 4:6.
Saiba quando parar. Se os ânimos estão começando a se exaltar e a conversa está ficando fora do controle, talvez seja melhor conversar em outra hora. Geralmente, não há nada de errado em sair de uma discussão tensa até a situação se acalmar. — Princípio bíblico: Provérbios 17:14.

TEXTOS PRINCIPAIS
“Os maridos devem estar amando as suas esposas como aos seus próprios corpos.” — Efésios 5:28.
“A esposa deve ter profundo respeito pelo seu marido.” — Efésios 5:33.
‘Sejam tirados dentre vós todo brado e linguagem ultrajante.’ — Efésios 4:31.


http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102013126

A violência doméstica tem solução!
Cena 1: Isabel* recebe a visita de seus pais. Eles passam uma noite agradável e descontraída com a filha e o genro. Que pais não ficariam orgulhosos de ver a filha casada com um homem que a trata tão bem?
Cena 2: Frank está fervendo de raiva. Mais uma vez, ele vai extravasar sua fúria da maneira de sempre — batendo no rosto da esposa, chutando-a, puxando seu cabelo ou batendo várias vezes a cabeça dela contra a parede.
VOCÊ talvez fique surpreso de saber que as duas cenas se referem ao mesmo casal.
Os agressores geralmente têm dois tipos de comportamento
Como acontece em muitos casos de violência doméstica, Frank sabe como fingir ser um “bom moço” na frente dos outros, incluindo dos sogros. Mas, quando está sozinho com a esposa, ele mostra seu lado cruel.
Muitos homens como Frank foram criados numa família violenta e acham que seu comportamento é aceitável — e até normal. Mas não há nada de normal nisso. É por isso que a maioria das pessoas fica revoltada ao saber que um homem espancou a esposa.
Mas infelizmente a violência doméstica é muito comum. Nos Estados Unidos, por exemplo, uma pesquisa constatou que centrais de atendimento a vítimas de violência doméstica recebem em média mais de 16 telefonemas por minuto em todo o país. Esse é um problema mundial que atinge todas as culturas, classes sociais e econômicas. Visto que muitos casos não são denunciados, sem dúvida a situação é pior do que as estatísticas revelam.*
Casos de violência doméstica levantam as perguntas: como um homem pode chegar a ponto de maltratar tanto alguém — ainda mais a própria esposa? Será que um homem assim pode ser ajudado?
As Testemunhas de Jeová, que publicam esta revista, acreditam que os conselhos da Bíblia podem ajudar pessoas violentas a mudar. Essa mudança é fácil? Não. Mas é possível? Sim! A instrução bíblica já ajudou muitas pessoas a trocar seu comportamento violento por um bondoso e respeitoso. (Colossenses 3:8-10) Veja o caso de Rogério e Valéria.
Como era o relacionamento de vocês no início?
Valéria: Na noite em que ficamos noivos, Rogério me deu um tapa tão forte que fiquei com um hematoma a semana toda. Ele pediu mil desculpas e prometeu nunca mais fazer isso. Nos anos seguintes, ouvi essa promessa várias vezes.
Rogério: Qualquer coisa me tirava do sério — se as refeições não estavam prontas na hora, por exemplo. Uma vez, dei várias coronhadas em Valéria. Em outra ocasião, bati tanto nela que achei que a tinha matado. Depois, tentei assustá-la por ameaçar matar nosso filho com uma faca no pescoço dele.
Valéria: Eu vivia com medo. Às vezes, precisava fugir de casa até Rogério se acalmar. Apesar disso tudo, eu achava mais difícil suportar a agressão verbal do que a física.
Rogério, você sempre foi violento?
Rogério: Sim, desde criança. Cresci num ambiente violento. Meu pai espancava minha mãe na frente dos filhos. Depois que ele a abandonou, minha mãe passou a viver com outro homem, que também a espancava. Ele também estuprou minha irmã — e a mim. Mas foi preso por isso. É claro que nada disso justificava meu comportamento.
Valéria, por que você não se separou de Rogério?
Valéria: Eu tinha medo. Eu achava que ele poderia ir atrás de mim e me matar ou matar meus pais. E, se eu o denunciasse, a situação poderia ficar pior ainda.
Quando as coisas começaram a mudar?
Rogério: Minha esposa começou a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. De início, eu tinha ciúme das novas amizades dela e achava que eu precisava salvá-la dessa “seita” estranha. Daí, fiquei mais violento ainda, não só com Valéria, mas também com as Testemunhas de Jeová. Certo dia, Daniel, nosso filho de 4 anos que sofria de convulsões, foi internado e ficou no hospital por quase três semanas. Nesse tempo, as Testemunhas de Jeová nos ajudaram bastante — até mesmo cuidando de nossa filha de 6 anos, Denise. Uma delas, depois de trabalhar a noite inteira, passou o dia com Daniel para que Valéria pudesse ir para casa dormir um pouco. A bondade dessas pessoas — que eu havia tratado tão mal — mexeu comigo. Percebi que elas agiam como cristãos verdadeiros. Então, pedi um estudo bíblico. No decorrer do estudo, aprendi como um homem deve e não deve tratar a esposa. Abandonei de vez meu comportamento agressivo e violento. Por fim, me tornei Testemunha de Jeová.
Que princípios bíblicos ajudaram você a mudar?
Rogério: Foram vários. Em 1 Pedro 3:7, a Bíblia diz que eu devo ‘honrar’ minha esposa. Gálatas 5:23 me incentiva a ter “brandura” e “autodomínio”. Efésios 4:31condena a “linguagem ultrajante”. Hebreus 4:13 diz que “todas as coisas estão . . . abertamente expostas” a Deus. Então, Deus vê minha conduta, mesmo que meus vizinhos não vejam. Também aprendi que precisava mudar minhas amizades, visto que “más associações estragam hábitos úteis”. (1 Coríntios 15:33) Meus antigos amigos me incentivavam a ser violento. Eles achavam certo espancar a esposa para mostrar “quem manda em casa”.
O que vocês acham do seu casamento agora?
Valéria: Já faz 25 anos que Rogério se tornou Testemunha de Jeová. Desde então, ele tem sido amoroso, bondoso e gentil comigo.
Rogério: Não posso apagar a grande dor que causei à minha família, e minha esposa com certeza não merecia nada disso. Mal posso esperar o cumprimento de Isaías 65:17, quando essa fase sombria de nossa vida for esquecida.
Que conselhos vocês dariam para famílias vítimas de violência doméstica?
Rogério: Se você agride sua família com palavras ou ações, reconheça que precisa de ajuda e não hesite em buscá-la. Existe muita ajuda disponível. Para mim, o estudo bíblico com as Testemunhas de Jeová e o convívio com elas me ajudaram a vencer minhas fortes tendências violentas.
Valéria: Evite comparar sua situação com a de outras pessoas e pense bem antes de seguir conselhos de pessoas que acham que sabem o que é melhor para você. Sei que nem todo caso terá o mesmo desfecho que o meu, mas, quando penso em como nosso casamento é abençoado agora, fico feliz por não ter desistido dele.
SOLUÇÃO PARA A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA
O estudo da Bíblia ajudou muitos homens a fazer as mudanças necessárias
A Bíblia diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas.” (2 Timóteo 3:16) Como Rogério, muitas pessoas violentas aplicaram os conselhos da Bíblia em seu casamento e conseguiram mudar o modo de pensar e agir.
POR QUE ELAS NÃO LARGAM O MARIDO VIOLENTO?
Por que algumas esposas decidem continuar com seu marido violento? Geralmente porque temem que a situação piore. Alguns maridos ameaçam machucar ou até mesmo matar a esposa caso ela tente fugir. Não foram poucos os que cumpriram suas ameaças.
Outras hesitam em largar o marido porque temem que seus familiares e amigos se voltem contra elas, negando-se a acreditar que a situação seja tão ruim assim. Por exemplo, Isabel, já mencionada neste artigo, deixou seu marido. Ela diz: “Minha irmã ficou brava comigo e insistiu que eu voltasse para ele — ela não acreditava que um homem tão ‘bom’ pudesse ser tão cruel. Todos os vizinhos começaram a me ignorar, e eu me senti obrigada a mudar de bairro com meus filhos.”
Algumas esposas decidem não deixar o marido por outros motivos:
• Elas querem que os filhos cresçam com a presença do pai e da mãe.
• Ficam com medo de não conseguirem sustentar a família sozinhas.
• Acreditam que a culpa é delas.
• Sentem vergonha de contar que sofrem agressão.
• Esperam que a situação melhore.
As Testemunhas de Jeová obedecem ao padrão bíblico de que a única base para odivórcio é o adultério. (Mateus 5:32) Mas existem situações que podem justificar aseparação, incluindo comportamento extremo de um cônjuge violento.

PRINCÍPIOS BÍBLICOS ÚTEIS PARA OS MARIDOS
Trate sua esposa com honra e respeito. — 1 Pedro 3:7.
Ame sua esposa como seu próprio corpo. — Efésios 5:28, 29.
Mantenha seu amor vivo e cada vez maior. — Efésios 5:25.
Evite machucar com palavras. — Efésios 4:29, 31.
Aprenda a ter autocontrole. — Provérbios 29:11.
Lembre-se de que ter autoestima depende de você se controlar, não de controlar os outros. — Provérbios 16:32.
Pense nas consequências de suas ações. — Gálatas 6:7.
Se perceber que vai perder o controle, é melhor sair de perto. — Provérbios 17:14.
Desenvolva ódio pela violência. — Salmo 11:5.
Não encare sua esposa como alguém inferior, mas como uma parceira competente. — Gênesis 1:31; 2:18.

Visite o site oficial das Testemunhas de Jeová:

Um comentário:

  1. passei para agradecer sua vesita mt obrigada volte sempre uma feliz semana bjs

    ResponderExcluir