17 agosto, 2013

QUEM JESUS DISSE QUE ERA?



Quem Jesus disse que era:
Jesus reconheceu que era o Filho de Deus, embora raramente se identificasse dessa maneira. (Marcos 14:61, 62; João 3:18; 5:25, 26; 11:4)
Quase sempre, porém, ele dizia que era “o Filho do homem”. Por identificar-se assim, ele chamava a atenção para seu nascimento como humano — o fato de que ele era realmente um homem.
Desse modo, ele também revelou ser o “filho de homem” que Daniel, em visão, viu aparecer perante o Deus Todo-Poderoso — “o Antigo de Dias”. — Mateus 20:28; Daniel 7:13.
Em vez de dizer publicamente que era o Filho de Deus, Jesus deixou que as pessoas chegassem a essa conclusão. Isso aconteceu até mesmo com alguns que não eram seus apóstolos, incluindo João Batista e Marta, amiga de Jesus. (João 1:29-34; 11:27)
Esses acreditavam que Jesus era o prometido Messias e sabiam que ele tinha vivido no céu como poderosa pessoa espiritual, e que Deus havia transferido milagrosamente a vida de seu Filho para o ventre da virgem Maria. — Isaías 7:14; Mateus 1:20-23.
Jesus era semelhante ao primeiro homem, Adão, em muitos aspectos.
Por exemplo, os dois eram homens perfeitos que não tiveram pai humano. (Gênesis 2:7, 15)
Assim, a Bíblia chama Jesus de “o último Adão” — um homem perfeito que podia servir como “resgate correspondente”.
A vida de Jesus correspondia à do “primeiro homem, Adão”, que Deus criou como humano perfeito. — 1 Coríntios 15:45; 1 Timóteo 2:5, 6.
A Bíblia chama o primeiro Adão de “filho de Deus”. (Lucas 3:38)
Mas esse Adão perdeu sua preciosa relação como filho de Deus quando desobedeceu a Ele deliberadamente.
Por outro lado, Jesus sempre foi fiel ao seu Pai celestial e permaneceu como Filho aprovado de Deus. (Mateus 3:17; 17:5)
A Bíblia diz que todos os que exercem fé em Jesus e o aceitam como Salvador podem ganhar a vida eterna. — João 3:16, 36; Atos 5:31; Romanos 5:12, 17-19.
No entanto, alguns afirmam que Jesus não é simplesmente o Filho de Deus, mas que na realidade é o próprio Deus. Dizem que tanto ele como o Pai são o Deus Todo-Poderoso. Será que estão certos?
É Jesus de alguma maneira parte de Deus?
Jesus orava freqüentemente a Deus, a quem chamou de Pai, e também ensinou outros a fazer o mesmo. (Mateus 6:9-11; Lucas 11:1, 2)
Numa oração com os apóstolos — poucas horas antes de morrer — ele pediu: “Pai, veio a hora; glorifica o teu filho, para que o teu filho te glorifique. Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo.” — João 17:1, 3.
Note que Jesus orou a alguém a quem chamou de “o único Deus verdadeiro”.
Ao continuar orando, ele mostrou a posição superior de Deus:
“De modo que agora, Pai, glorifica-me junto de ti com a glória que eu tive junto de ti antes de haver o mundo.” (João 17:5)
Jesus ensinou seus discípulos a orar: “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.” Mateus 6:9 
A Bíblia descreve nosso Pai celestial, cujo nome é Jeová, como superior ao Filho. 
Por exemplo, Jeová é “de eternidade a eternidade”. 
Mas a Bíblia diz que Jesus é “o primogênito de toda a criação”. 
Como acabamos de ver, o nome dado ao Filho de Deus, o Cordeiro, é Jesus. (Lucas 1:30-32) 
Mas qual é o nome do Pai dele? 
A Bíblia o menciona milhares de vezes. Por exemplo, o Salmo 83:18 diz: “Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” Infelizmente, muitas traduções da Bíblia substituíram o nome de Deus pelos termos “SENHOR” e “DEUS”. 
Em algumas traduções, esses termos são escritos com letras maiúsculas, supostamente para diferenciar Jeová de outros, chamados deuses ou senhores. 
Mas muitas traduções da Bíblia restituíram o nome divino ao seu devido lugar.


5 comentários:

  1. Olá Sônia!Cheguei a você através do seu blog de culinária (por falar nisto o "pão com recheio de maçã" está no forno neste momento.. rsrsrs).
    Fiquei com uma dúvida sobre este texto: e a Santíssima Trindade?
    beijos e tudo de bom!
    Lucia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lúcia, obrigada pela visita.
      Que bom ter experimentado a receita, espero que tenha ficado bom o seu pão.

      Fico feliz que tenha lido meu post sobre Jesus, e se interessado em mais detalhes.
      Eis a resposta.

      Primeiro: Jesus, Paulo e os crentes do primeiro século usavam as Escrituras como base de seu ensino. Sabiam que “toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça, a fim de que o homem de Deus seja plenamente competente, completamente equipado para toda boa obra”. — 2 Timóteo 3:16, 17

      Note que Jesus orou a alguém a quem chamou de “o único Deus verdadeiro”. Ao continuar orando, ele mostrou a posição superior de Deus: “De modo que agora, Pai, glorifica-me junto de ti com a glória que eu tive junto de ti antes de haver o mundo.” (João 17:5) Visto que Jesus orou pedindo para estar junto de Deus, como poderia Jesus ser ao mesmo tempo “o único Deus verdadeiro”?
      Examinemos essa questão:
      Que dizer, então, do ensino de que Jeová e Jesus são, na realidade, o mesmo Deus, como afirma a doutrina da Trindade? A revista The Living Pulpit, no número de abril-junho de 1999, definiu o ensino da Trindade deste modo: “Há um Deus e Pai, um Senhor, Jesus Cristo, e um Espírito Santo, três ‘pessoas’ . . . que são as mesmas ou uma na sua essência . . . ; as três são igualmente Deus, possuindo as mesmas qualidades inerentes, mas pessoas realmente distintas, conhecidas por suas características pessoais.”
      Onde surgiu esse complexo ensino da Trindade?
      A Trindade não é um ensino de Jesus ou dos primeiros cristãos. Conforme mencionado anteriormente, é “um ensino da Igreja”. Na edição de 1999 sobre a Trindade, a revista The Living Pulpit observou: “Às vezes parece que todas as pessoas presumem que a doutrina da Trindade é um ensino teológico cristão padrão.” Mas acrescentou que não é “um conceito bíblico”.
      A New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica, 1967) considera detalhadamente a doutrina da Trindade e reconhece: “O dogma trinitariano é, em última análise, uma invenção do final do quarto século. . . . A formulação de ‘um só Deus em três pessoas’ não foi solidamente estabelecida, por certo não plenamente assimilada na vida cristã e na sua profissão de fé, antes do fim do quarto século.”

      Martin Werner, professor da Universidade de Berna, Suíça, observou: “Sempre que o Novo Testamento considera a relação de Jesus com Deus, o Pai, quer com referência à sua vinda como homem, quer à sua posição como Messias, entende-se e descreve-se essa relação, sem dúvida nenhuma, como de subordinação.”

      Fica claro que Jesus e os primeiros cristãos acreditavam em algo muito diferente da doutrina da Trindade, ensinada hoje nas igrejas.
      Um só Deus ou três?
      Para os cristãos primitivos, a resposta era clara.
      Foi meridianamente declarada pelo apóstolo Paulo:
      “Sabemos que o ídolo nada é no mundo, e que não há Deus senão um só. Pois, embora haja os que se chamem ‘deuses’, quer no céu, quer na terra, assim como há muitos ‘deuses’ e muitos ‘senhores’, para nós há realmente um só Deus, o Pai, de quem procedem todas as coisas, e nós para ele, e há um só Senhor, Jesus Cristo, por intermédio de quem são todas as coisas, e nós por intermédio dele.” — 1 Coríntios 8:4-6.

      Assim, o testemunho da Bíblia e da história deixa claro que a Trindade era desconhecida durante os tempos bíblicos e por vários séculos depois.

      Espero terrespondido sua pergunta, mas se quiser mais informação estarei a disposição.

      Sonia

      Excluir
  2. Olá Sonia, ao ver sua postagem sobre nosso Senhor e salvador Jesus Cristo, não pude deixar de perceber sua sinceridade com relação as Escrituras Sagradas e ao messias, mas, também percebi que fata-lhe uma real percepção da pessoa e obra de Jesus Cristo. Por isso, resolvi lhe ajudar a melhor compreender a verdade sobre Jesus e sobre a trindade divina, sim, Jesus é Deus e também salvador de todos nós, aliás, ele é o Pai são um (Jo 10.30). Portanto, ele não é uma criatura, e sim o criador! senão vejamos:
    1) Deus todo poderoso. Usando a sua própria bíblia Sonia, veremos em Isaías 9.6 essa afirmação e também a de Pai da eternidade aplicada ao Senhor Jesus;
    2) Jesus é a rocha! "E todos beberam a mesma bebida espiritual. Porque costumavam beber da rocha espiritual que os seguia, essa rocha significava o Cristo" (1 Co 10.1-4), e agora compare com "Acaso existe outro Deus além de mim? Não, não há nenhuma Rocha.Não há nenhuma Rocha. Não reconheci nenhuma" (Isaías 44.8).
    3) Jesus e Jeová são a mesma pessoa? A Bíblia deixa evidente que sim! Jesus, quando na terra, declarou que havia aparecido a Abraão, dando-lhe muita alegria: "Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia, e viu-o, e alegrou-se. Disseram-lhe, pois os judeus: Ainda não tens cinquenta anos e viste Abraão? Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que, antes que Abraão existisse, eu sou" (João 8.56-58).
    Na passagem de Jo 8.56-58, Jesus não estava só declarando que era Ele o que aparecera a Abraão, mas declarava também ser o Eu Sou, o nome revelado por Deus a Moisés em Êxodo 3.13,14. Os judeus não tiveram dúvidas sobre o que Jesus afirmou ser e, segundo os judeus, isto era blasfêmia que devia ser castigada com apedrejamento: " Então pegaram em pedras para lhe atirarem; mas Jesus ocultou-se, e saiu do templo, passando pelo meio deles, e assim se retirou" (Jo 8.59). Assim, Jesus esteve perto de um apedrejamento por ter usado a fórmula da auto-revelação divina (Êx 3.14) quando declarou aos judeus que tinha aparecido a Abraão como Jeová.
    4) A Trindade na Bíblia. Existem duas classes de textos na Bíblia que apoiam a doutrina da Trindade: os que associam as três pessoas e os que atribuem a deidade absoluta as três pessoas individualmente.
    a) As três pessoas unidas: A associação das três pessoas é vista:
    No batismo de Jesus (Mt 3.16,17);
    Na forma batismal (Mt 28.19);
    Na benção apostólica (2 Co 13.13);
    b) A deidade das três pessoas: Textos que atribuem deidade absoluta as três pessoas individualmente
    O Pai é Deus (Ef 1.2);
    O Filho é Deus ( Jo 1.1; 20.28; 1 Jo 5.20);
    O Espírito Santo é Deus (Atos 5.3,4).
    Sonia, eu poderia postar muitas outras evidências bíblicas da deidade de Jesus por exemplo, mas infelizmente o meu tempo é curto. Se acaso você deseje sinceramente conhecer a Jesus e a sua palavra, basta me visitar em meu blog ou mandar suas dúvidas no meu email pr.igorcogoy@hotmail.com
    Um grande abraço e que Deus te abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, agradeço ao comentário, mas fiz um novo post no blog, esclarecendo dentro das Escrituras como Jesus se refere a seu Pai como sendo maior do que ele. Espero que aprecie.
      Obrigada

      Excluir
    2. http://sonhodesonia.blogspot.com.br/ Será que Jesus é Deus?
      Um grande abraço

      Excluir