18 junho, 2013

NOSSA CONFIANÇA EM DEUS


Com a minha voz clamarei ao próprio Jeová e ele me responderá do seu santo monte. — Sal. 3:4.

Confiando em Jeová e cheio de esperança, Davi escreveu o acima. De acordo com as ordens de Davi, a arca do pacto, que simbolizava a presença de Deus, havia sido levada para o monte Sião. (2 Sam. 15:23-25) Apropriadamente, portanto, Davi disse que a resposta à sua oração viria do monte santo de Jeová. Certo de que orar a Deus não seria em vão, Davi não sentia pavor. 
Em vez disso, ele cantou: “Quanto a mim, vou deitar-me para dormir; hei de acordar, porque o próprio Jeová continua a sustentar-me.” (Sal. 3:5) 
Mesmo à noite, quando o perigo de um ataque surpresa era maior, Davi não tinha medo de dormir. Ele tinha certeza de que acordaria, pois suas experiências anteriores o deixaram totalmente confiante de que podia contar com o infalível apoio de Deus. 
Podemos ter essa mesma confiança se seguirmos os “caminhos de Jeová” e nunca nos afastarmos dele. — 2 Sam. 22:21, 22.
Davi concluiu esse salmo dizendo: “Vou tanto deitar-me como dormir em paz, pois somente tu, ó Jeová, me fazes morar em segurança.” (Sal. 4:8) 
Quando os israelitas obedeciam à Lei de Jeová, eles tinham paz com Deus e segurança. Por exemplo, durante o reinado de Salomão, ‘Judá e Israel moravam em segurança’. (1 Reis 4:25) 
Os que confiavam em Deus tinham paz até mesmo quando nações vizinhas eram hostis. 
Como Davi, temos um sono tranquilo, pois Deus nos faz sentir seguros.
Prossigamos confiantemente no serviço de Jeová. Vamos também orar com fé e, assim, sentir “a paz de Deus, que excede todo pensamento”. (Fil. 4:6, 7) 
Quanta alegria isso nos dá! 
E certamente podemos encarar o futuro com segurança, se sempre tivermos plena confiança em Jeová.

14 junho, 2013

Lidar com as causas de aflição



TEXTO DIÁRIO:

Precisamos de consolo em várias situações na vida. Uma das maiores causas de tristeza é a morte de uma pessoa amada, especialmente o cônjuge ou um filho. O consolo talvez seja necessário também quando a pessoa é vítima de discriminação ou preconceito. Saúde fraca, idade avançada, pobreza, problemas no casamento ou condições mundiais aflitivas podem fazer com que a pessoa precise de consolo.

Quando há aflição, talvez precisemos de consolo que alivie o coração, a mente, as emoções e a saúde física e espiritual. Por exemplo, veja o coração.
A Palavra de Deus reconhece que nosso coração pode ficar “quebrantado e esmagado”. (Sal. 51:17
Jeová certamente é capaz de lidar com essa situação, pois “está sarando os quebrantados de coração e está [enfaixando] seus pontos doloridos”. (Sal. 147:3
Mesmo nas situações graves, Deus pode oferecer alívio a um coração angustiado se lhe pedirmos com plena fé e obedecermos seus mandamentos.
Leia 1 João 3:19-22; 5:14, 15.

Nossa mente muitas vezes precisa de consolo por causa da aflição mental que pode resultar de diversas provações. Com nossas próprias forças, provavelmente não passaríamos com êxito por essas provas de fé. Mas o salmista cantou: “Quando os meus pensamentos inquietantes se tornaram muitos no meu íntimo, tuas próprias consolações começaram a afagar a minha alma.” (Sal. 94:19
E Paulo escreveu: “Não estejais ansiosos de coisa alguma, mas em tudo, por oração e súplica, junto com agradecimento, fazei conhecer as vossas petições a Deus; e a paz de Deus, que excede todo pensamento, guardará os vossos corações e as vossas faculdades mentais por meio de Cristo Jesus.” (Fil. 4:6, 7
Ler as Escrituras e meditar nelas pode ser de grande ajuda para lidar com a aflição mental.  2 Tim. 3:15-17.

Acontecimentos aflitivos podem exercer um efeito negativo em nossa saúde física.Naturalmente, alimentação adequada, descanso suficiente, algum exercício e boa higiene podem nos ajudar. 
Além disso, pensar nas promessas da Bíblia para o futuro pode ajudar a melhorar nossa saúde. 
Assim, quando estamos angustiados, podemos nos lembrar do que Paulo passou e de suas palavras encorajadoras: “Somos apertados de todos os modos, mas não comprimidos sem nos podermos mover; estamos perplexos, mas não inteiramente sem saber o que fazer; somos perseguidos, mas não ficamos cambaleando; somos derrubados, mas não destruídos.” — 2 Cor. 4:8, 9.