17 agosto, 2013

QUEM JESUS DISSE QUE ERA?



Quem Jesus disse que era:
Jesus reconheceu que era o Filho de Deus, embora raramente se identificasse dessa maneira. (Marcos 14:61, 62; João 3:18; 5:25, 26; 11:4)
Quase sempre, porém, ele dizia que era “o Filho do homem”. Por identificar-se assim, ele chamava a atenção para seu nascimento como humano — o fato de que ele era realmente um homem.
Desse modo, ele também revelou ser o “filho de homem” que Daniel, em visão, viu aparecer perante o Deus Todo-Poderoso — “o Antigo de Dias”. — Mateus 20:28; Daniel 7:13.
Em vez de dizer publicamente que era o Filho de Deus, Jesus deixou que as pessoas chegassem a essa conclusão. Isso aconteceu até mesmo com alguns que não eram seus apóstolos, incluindo João Batista e Marta, amiga de Jesus. (João 1:29-34; 11:27)
Esses acreditavam que Jesus era o prometido Messias e sabiam que ele tinha vivido no céu como poderosa pessoa espiritual, e que Deus havia transferido milagrosamente a vida de seu Filho para o ventre da virgem Maria. — Isaías 7:14; Mateus 1:20-23.
Jesus era semelhante ao primeiro homem, Adão, em muitos aspectos.
Por exemplo, os dois eram homens perfeitos que não tiveram pai humano. (Gênesis 2:7, 15)
Assim, a Bíblia chama Jesus de “o último Adão” — um homem perfeito que podia servir como “resgate correspondente”.
A vida de Jesus correspondia à do “primeiro homem, Adão”, que Deus criou como humano perfeito. — 1 Coríntios 15:45; 1 Timóteo 2:5, 6.
A Bíblia chama o primeiro Adão de “filho de Deus”. (Lucas 3:38)
Mas esse Adão perdeu sua preciosa relação como filho de Deus quando desobedeceu a Ele deliberadamente.
Por outro lado, Jesus sempre foi fiel ao seu Pai celestial e permaneceu como Filho aprovado de Deus. (Mateus 3:17; 17:5)
A Bíblia diz que todos os que exercem fé em Jesus e o aceitam como Salvador podem ganhar a vida eterna. — João 3:16, 36; Atos 5:31; Romanos 5:12, 17-19.
No entanto, alguns afirmam que Jesus não é simplesmente o Filho de Deus, mas que na realidade é o próprio Deus. Dizem que tanto ele como o Pai são o Deus Todo-Poderoso. Será que estão certos?
É Jesus de alguma maneira parte de Deus?
Jesus orava freqüentemente a Deus, a quem chamou de Pai, e também ensinou outros a fazer o mesmo. (Mateus 6:9-11; Lucas 11:1, 2)
Numa oração com os apóstolos — poucas horas antes de morrer — ele pediu: “Pai, veio a hora; glorifica o teu filho, para que o teu filho te glorifique. Isto significa vida eterna, que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro, e daquele que enviaste, Jesus Cristo.” — João 17:1, 3.
Note que Jesus orou a alguém a quem chamou de “o único Deus verdadeiro”.
Ao continuar orando, ele mostrou a posição superior de Deus:
“De modo que agora, Pai, glorifica-me junto de ti com a glória que eu tive junto de ti antes de haver o mundo.” (João 17:5)
Jesus ensinou seus discípulos a orar: “Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.” Mateus 6:9 
A Bíblia descreve nosso Pai celestial, cujo nome é Jeová, como superior ao Filho. 
Por exemplo, Jeová é “de eternidade a eternidade”. 
Mas a Bíblia diz que Jesus é “o primogênito de toda a criação”. 
Como acabamos de ver, o nome dado ao Filho de Deus, o Cordeiro, é Jesus. (Lucas 1:30-32) 
Mas qual é o nome do Pai dele? 
A Bíblia o menciona milhares de vezes. Por exemplo, o Salmo 83:18 diz: “Tu, cujo nome é Jeová, somente tu és o Altíssimo sobre toda a terra.” Infelizmente, muitas traduções da Bíblia substituíram o nome de Deus pelos termos “SENHOR” e “DEUS”. 
Em algumas traduções, esses termos são escritos com letras maiúsculas, supostamente para diferenciar Jeová de outros, chamados deuses ou senhores. 
Mas muitas traduções da Bíblia restituíram o nome divino ao seu devido lugar.